Os Sonhos de Um Pequeno Anjo ( Em Prosa )



Em toda a Grécia não havia coração mais puro e valente. Muito amada por sua família, principalmente por sua irmã Lila, a doce Gabrielle cresceu e viveu até o final de sua adolescência no povoado de Potédia.
Nascida com seis dedos em um dos pés, fato que a envergonhava, somente sua mãe o sabia.

Com seu pequeno pônei, Gabrielle passeava pelos arredores, sonhando com uma vida que não condizia com a vida que seus pais sonhavam para ela. Sendo assim, ela se tornara noiva de Pérdicas, um jovem camponês. Criados praticamente juntos em Potédia, eram bons amigos, acima de tudo.

Mas a pequena virgem sonhava com bem mais do que ser uma esposa dedicada ao marido e filhos. Gabrielle queria conhecer o mundo e, por isso, estudava história, os mapas, filosofia e adorava contar e escrever enredos vindos de sua imaginação ampla e dinâmica. Porém, ela se limitava a ser quem ela realmente era apenas a ela mesma. Seus pais não entenderiam.

Gabrielle era diferente dos demais, dona de sentimentos que iam além do conhecimento daqueles simples aldeões.
Ainda assim, ela tentava ser feliz na pequena Potédia, esperando que algum dia surgisse uma, apenas uma, oportunidade para que ela pudesse seguir o seu caminho.
E, então, esta oportunidade apareceu...

Sua aldeia estava jurada à escravidão, principalmente as moças, pelo guerreiro Draco, que enviou seus homens para apanhar aquelas pessoas... pessoas que Gabrielle amava e que, num ímpeto de coragem e desprendimento, a fez oferecer-se em troca de todos.

Foi então, que por trás da mata, surgia a sua chance. Uma guerreira os salvou, a salvou.
A oportunidade que ela tanto esperou estava bem ali a sua frente. Mas, Xena, a tal guerreira, não prestou atenção em seus anseios.

Gabrielle, guiada por uma força maior, a qual ela mesma desconhecia, resolveu deixar sua família, seu noivo, seus amigos, e seguir viagem em busca daquela que salvou a sua vida, em busca daquela que mudaria sua vida para sempre...

Xena relutou a princípio, mas como não ceder aos encantos da jovem que salvou a sua vida em Amphipolis? Como não aceitar a única mão que lhe fora estendida? Como não olhar e ver a beleza daquela jovem? Uma beleza interna, maior do que a externa.

A jovem de Potédia sabia com quem estava lidando: uma guerreira que lutava contra seus demônios interiores.
Por vezes, Gabrielle chegou a ser vítima destes demônios, mas o amor que existia dentro dela por aquela guerreira era muito maior do que qualquer sofrimento.

Numa confusão de sentimentos, Gabrielle buscava por sua alma gêmea e chegou a acreditar que outros pudessem sê-la.
Pérdicas reapareceu, agora como um guerreiro e isto mexeu com seus confusos desejos. Afinal, do que ela gostava? De guerreiros ou de uma guerreira em especial?

A segunda opção prevaleceu. Seu amor era Xena, sua alma gêmea era Xena, é Xena!
E por Xena, Gabrielle se sacrificou, se corrompeu, matou... Por Xena, ela abriu mão de si mesm e, de seus valores, inúmeras vezes. Arriscou e doou sua própria vida.

Mas aquele coração inocente jamais foi substituído por outro. Tão inocente que a fez aceitar o absurdo e doar seu bem mais precioso em nome de outros.
Xena se foi e Gabrielle ficou sozinha com a promessa de que jamais estaria só. Porém, os mortos costumam fazer promessas que não podem cumprir.

Gabrielle teve que esperar pelo dia de sua própria morte, sozinha, para então reencontrar seu grande amor.
Por quanto tempo ela esperou?
O quanto teve que sofrer, sonhando com este momento, enquanto olhava para as estrelas?


por Math Pitbull


Comentários
3 Comentários

3 comentários:

  1. muuuuito bem, Math, tá lindo, eu fiquei lendo imaginando as duas, tá mto bom!!
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Valeu!
    Confesso que o da Xena ficou mais bacana, mas que bom que tb gostou do texto sobre a Gaby! bjs

    ResponderExcluir
  3. No final das contas, Gabrielle se doou muito mais. Entretanto, não estamos mesmo discutindo quem fez mais. Amor é amor. E para todo ofício, ai vão os ossos...
    Mas não nego que é inconformável ver Gabrielle sem Xena.
    Math, o texto é muito bom. Ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeeei

    ResponderExcluir

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos