Visão Maintexter: Comentando os Episódios de XWP – The Reckoning


Ao que muitos preferem chamar de subtexto, eu chamo de maintexto.

Para bom entendedor, meia cena basta.


Xena e Gabrielle caminham pela floresta. Xena está montada em Argo e Gabrielle reclamando por já ter caminhado tanto.
Oh, Xena insensível!
Gabrielle diz que vai procurar a estrada e segue. Xena recomenda que ela tenha cuidado.
Que mimo!
Agora sozinha, Xena ouve gritos e vai rapidamente até o local de onde eles ecoam.
Quatro camponeses estão sendo atacados por um guerreiro encapuzado. Xena avança e luta contra o sujeito. Dois dos homens estão já estão mortos. O terceiro olha a luta, mas morre em seguida. O homem encapuzado desaparece no ar e Xena vai em socorro do camponês que ainda vive, porém muito machucado.
Pessoas do vilarejo ao qual pertencem aqueles homens são atraídas pelo som e surgem no momento em que Xena tenta estancar o sangue do sobrevivente. Todos pensam que a guerreira foi a responsável pelo massacra e decidem prendê-la. O homem desmaia antes que possa dizer que ela estava ajudando. Para não machucá-los, Xena decide fugir. Os homens a seguem, correndo enfurecidos. Ela chama por Gabrielle (novidade)e encontra a garota banhando-se num rio. Xena manda que ela rapidamente suba em Argo. Gabrielle toma suas roupas ao ver as pessoas se aproximando e monta.
Particularmente, uma cena linda: Gabrielle só de camisola agarrada em Xena, subindo o morro.
Os camponeses retornam para sua vila e exigem que o juiz os permita matar Xena. Este diz que ela terá um julgamento justo. Mas as pessoas não se conformam e decidem caçá-la.
Xena explica para Gabrielle o que ocorrera e está impressionada com a habilidade do homem encapuzado, já desconfiando de quem se trata. Ela encerra a conversa pedindo para que Gabrielle se afaste caso algo venha a acontecer.
Preocupada com a barda, Xena? Era de se esperar.
Ao amanhecer, Xena e Gabrielle seguem rumo à saída da floresta, quando a guerreira percebe que elas estão sendo observadas e puxa Gabrielle para cima deArgo.
Repare a mão boba de Xena! Peguei no flagra!
Os camponeses haviam trancado a saída e Argo se assusta, empinando, fazendo Gabrielle cair. Os homens a capturam e tentam fazer o mesmo com Xena, mas ela se livra, dizendo para que eles soltem a garota.
Pode fazer o que quiser com Xena, mas se tocar na Gabrielle, ela enlouquece! Por outro lado, é nítida a expressão de satisfação e admiração da barda ao ser defendida pela sua ‘amiga’.
O juiz concorda e deixa Gabrielle partir. Xena solta sua espada e é golpeada, perdendo os sentidos. Gabrielle se desespera.
(outra grande novidade)
Xena é presa por correntes na prisão e Gabrielle vai visitá-la, visivelmente preocupada. Ela diz que tirará a guerreira daquela situação e sai.
E Xena faz de novo aquela cara conhecida como: “Ela não desiste de mim.”
Ares aparece e então Xena conhece o deus da guerra como ele realmente é. Ela a solta das correntes e, com um tom doce na voz, ele tenta seduzi-la com falsas promessas e ela fica tentada (afinal, ele é um deus). Ares lhe mostra o que ela poderá fazer se ela se tornar sua seguidora. E tudo o que ela tem que fazer é chamar pelo nome dele, pedindo ajuda.
Xena volta a ficar acorrentada e Ares desaparece.
Gabrielle tenta convencer o juiz que é ela quem deve defender Xena, mas ele não aceita.
Os aldeões mais revoltados levam Xena até a praça e planejam arrastá-la com uma carroça. Ares aparece, aguardando que ela peça sua ajuda, mas ela se nega, permitindo ter seus pés amarrados. Gabrielle, vendo aquilo, corre e toma a corda, enlaçando seu pescoço, numa tentativa de ajudar. Xena diz que aquilo não tem nada a ver com ela.
Gabrielle olha para Xena como quem diz: “Se é seu problema, logo é meu problema também.”
Alguém aí percebeu o que Gabrielle acabou de fazer? Ela simplesmente estragou o plano de Ares, que aguardava ansioso pelo chamado de Xena. Huahuahuahuha. E ela não vai parar por aí.

O juiz intervém e diz que Xena terá um julgamento justo, sendo Gabrielle sua advogada de defesa.
Pára tudo! Eu preciso comentar algo: enquanto o juiz fala, tendo Gabrielle atrás dele e Xena atrás deles, repare nos olhos da guerreira. Hahahaha. Ela fica analisando Gabrielle de cima a baixo. Se não fosse pela situação em que se encontra, eu diria que Xena está cobiçando a garota.
Bem, bem, bem, Xena lança um olhar para Ares, como quem diz: “Não foi dessa vez.” Ela é levada novamente para a prisão e Gabrielle fica pensando no que fazer para defendê-la, enquanto Ares a observa.
“Garota intrometida!” – certamente ele pensou algo assim.
Gabrielle sai em busca de evidências e encontra pegadas de duas pessoas lutando no local aonde se deu o massacre. Ela retorna e chama o juiz. Ares se adianta e apaga as marcas.
O julgamento inicia e todas as pessoas depõem contra Xena, que é defendida com garras e dentes pela barda. Teracles, o único sobrevivente, é levado até lá. Ele tenta dizer o que ocorrera, mas ainda está muito fraco. As pessoas prosseguem acreditando que Xena é a assassina. O juiz suspende a audiência e ela é levada novamente para a prisão.
Os mesmos homens que tentaram arrastar Xena vão até a cela e batem nela, que se encontra indefesa. Ares aparece e a instiga a lutar, usando toda a sua fúria. Xena, seduzida pelas palavras dele, arrebenta as correntes e desfere golpes insanos nos homens. Gabrielle chega neste momento e leva uma bofetada da guerreira, caindo ao chão. Ela fica extremamente assustada e sai. Xena se dá conta do que acabara de fazer e volta a si.
De novo Gabrielle estraga os planos de Ares. Aliás, que poder é esse que consegue desfazer o poder de um deus?
Xena tenta ajudar os homens que ela feriu. O juiz chega e diz que sua situação complicou-se ainda mais.
Anoitece e Gabrielle surge montada em Argo. Ela vai até as grades e começa a amarrá-las. Xena fica incrédula pela garota ter voltado depois do que aconteceu. Ela se nega a fugir, dizendo que recebeu uma oferta melhor e pede para ficar sozinha. Gabrielle abaixa os olhos, triste, e Xena lhe diz que ficou feliz por ela ter voltado.
É linda a forma como Gabrielle olha para Xena. É um olhar de plena adoração. Por que, né?
Ares aparece novamente, mas desta vez é Xena quem o seduz. Ela usa a oferta dele e o faz prometer algo: a promessa consiste em trazer para ela qualquer homem que ela queira para integrar seu exército, mesmo aqueles que estejam mortos. Ares concorda e desaparece.
O dia amanhece e Xena é levada para fora. O juiz dá o veredicto: culpada. Xena olha para Ares e cobra a promessa. Ele assente. Então ela chama pelos três homens mortos. Ares se impressiona com a jogada da guerreira e cumpre o prometido. Os homens aparecem vivos novamente e um deles diz que Xena é uma boa pessoa e que tentou ajudá-los. Ela então é inocentada.
De volta a estrada, Xena diz à Gabrielle que seu ato em retornar depois do que ela lhe fez significou muito para ela.
Xena já não se via mais longe da loirinha.
Gabrielle diz que acreditava em Xena e que ela jamais seria capaz de machucá-la e diz que lhe deve algo. A garota dá um soco em Xena e quase quebra a mão.
Gabrielle adora Xena, isso é fato, mas não leva desaforo pra casa.
A barda pergunta como que aqueles homens retornaram a viver e Xena começa a lhe falar sobre Ares.
Este, ao fundo, diz: “Até a próxima, Xena. Até a próxima.”


por Math Pitbull

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos