Gabrielle, Verdadeiramente Mãe

clique nas imagems para ver em tamanho original


O instinto maternal de Gabrielle é algo admirável, apesar dos pesares.
Seu cuidado com as pessoas de modo geral, incluindo Xena, é tão lindo de se ver!




Tudo começou com o pequeno Gabriel, em Cradle of Hope. Ao ver o menino dentro do cesto à margem do rio, Gabrielle tratou logo de tomá-lo nos braços e fazer as vezes de mãe da criança. 
O desejo de ser mãe aflorava no coração de Gabrielle.


Ao conhecer o filho de Xena, Solan, Gabrielle tratou logo de se tornar amiga dele e protegê-lo como se fosse seu próprio filho.



E então ela foi "contemplada" por Dahak, trazendo Hope à vida. 
Mesmo sabendo que a criança era filha do mal e que fora concebida de forma forçada, digamos assim, além de se tratar de alguém que crescia numa rapidez fora dos padrões, ela acreditava que seu lado mortal pudesse fazer com que a menina se tornasse uma boa pessoa no futuro. 
Gabrielle amou sua filha desde o nascimento e a protegeu impedindo que Xena a matasse ao colocá-la num cesto rio abaixo. Ela mentiu para Xena por amor a sua filha. 


Porém, tempos mais tarde, Gabrielle reencontra a criança e fica feliz por ela ter se salvado e crescido saudável. 
A menina deu todos os indícios de que havia se tornado uma pessoa boa e normal como todas as crianças. Gabrielle acreditou, afinal, ela amava sua filha. Porém, ao saber que a garota mentira e matou Solan, a quem ela também amava, Gabrielle precisou tomar uma decisão drástica: livrar o mundo daquele ser maligno. Ela precisou criar coragem, um tipo de coragem que não se vê em mães que amam seus filhos totalmente. 
Gabrielle envenenou sua própria filha e a culpa por ter feito isso ficou em sua consciência. 


O veneno não foi suficiente para matar uma semi deusa e Hope retornou, fisicamente idêntica a sua mãe. 
O objetivo da garota era implantar o mal na terra e ela queria que sua mãe seguisse junto dela. Gabrielle, porém, não aceitou certamente. Por mais que pudesse ter amado sua filha, Gabrielle jamais "mudaria de lado". 
Entretanto, Gabrielle se sentia responsável por Hope, tanto que não achou correto Xena se sacrificar para matá-la. Nesse momento, já sabendo que sua filha não tinha mais salvação, seu amor por Xena falou mais alto e decidiu ela mesma matar Hope.


Hope novamente se livrou da morte e deu à luz a seu filho, o Destruidor. Uma criatura movida pelo ódio, mas que era extremamente carente do afeto de sua mãe. 
Durante uma briga, Xena o mata e ele mata Hope. A garota falece olhando para Gabrielle, como se pedisse por sua ajuda e seu carinho. Gabrielle ficou consternada diante do que via e avançou em seu encontro, sendo impedida por Xena. Ver filha e neto morrerem de modo tão terrível mexeu com as estruturas de Gabrielle. Por mais que Hope fosse má e que ele fosse um monstro, o instinto maternal de Gabrielle apitou nesse momento e a culpa por tudo aquilo ter acontecido a acompanhou por anos. 


Hope foi esquecida com a chegada de Eva, um lindo bebê que Xena trouxe ao mundo por obra de Callisto. 
Gabrielle cuidou, protegeu e amou essa criança como sua própria filha, afinal, sendo filha de sua mulher, Eva era realmente sua filha. 
Sem dúvidas, Gabrielle amou mais Eva do que Hope. Ela fez da menina uma princesa amazona, cogitou a hipótese de viver com ela e Xena com as amazonas no intuito de proteger a criança, e simulou a própria morte para salvar sua vida.
Com Eva, ela pôde realizar seu sonho de ser mãe, coisa que ela não conseguiu com Hope.


Após 25 anos sem ver a garota, Eva tornou-se a sanguinária Livia. Xena pensou em matá-la, mas Gabrielle a impediu. Porém, Livia matou Joxer, seu grande amigo, e Gabrielle passou a pensar que matá-la seria a solução. Afinal, uma culpa a mais por matar filho não faria muita diferença para ela. 
Graças a Eli, Livia viu a verdade e voltou a ser Eva, a doce Eva, doce demais para alguns. Gabrielle foi vítima das Fúrias e quase matou a garota, mas depois fez de tudo para salvar sua vida quando as amazonas queriam matá-la, até desafiou Varia e apanhou feio apenas para ajudar sua filha. Ela poderia ter escolhido seu campeão, como fez com Melosa, mas não, quis ela mesma defender Eva. 
O carinho e cuidado que Gabrielle tem com Eva é coisa de mãe que ama seus filhos. 


O olhar de cumplicidade e carinho que antecede este abraço de despedida (vide foto principal do post) mostra o quanto Gabrielle foi verdadeiramente mãe.




por Matheus Roberto

Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos