Diário de Gabrielle - Provando a Teoria GabLes - O Primeiro Pergaminho



"Não sei nem por onde começar. Estou tão feliz por estar aprendendo a ler e escrever, que iniciar meu primeiro pergaminho me deixa sem palavras... 

Hum... deixa eu ver... Ah, vou começar me apresentando! Isso! 

Querido pergaminho, me chamo Gabrielle, tenho 9 anos, nasci e vivo em Potédia com meus pais e minha irmã. Somos uma família feliz, embora quando nos falta comida, por causa de uma colheita mal sucedida, devido à enxurradas ou saqueadores, por exemplo, meus pais ficam nervosos e começam a discutir. Como se a culpa por uma colheita ruim fosse de um ou de outro. Eu não entendo isso, mas ainda assim conseguimos viver bem e manter uma boa harmonia familiar. 

Além de estudar, eu também adoro brincar com meus melhores amigos, Seraphin, Perdicas e minha irmã Lila. Meus pais ficam dizendo que Perdicas e eu iremos nos casar um dia e isso me irrita! Eu tenho muita coisa ainda pra viver antes de pensar em me prender a alguém. Sou criança e quero aproveitar!

Outra coisa que eu amo fazer é contar histórias! Quando começo a falar as pessoas param o que estão fazendo só pra me ouvir. Isso é tão bom! Conto histórias conhecidas, mas dou um encanto todo especial! Não é a história em si apenas que a faz ser boa, e sim como ela é contada! E isso eu sei fazer, modéstia à parte!

Quando eu crescer um pouco mais, quero ir para Atenas! Estudarei bastante e me tornarei uma barda de verdade, reconhecida pelo grande público! Mas Atenas é tão longe... 
Vi os mapas de Nestor, um ancião daqui, conhecedor de muitas partes do mundo. Ele está me ajudando a aprender as coisas, como ler e escrever, que era o que eu mais queria! Ele disse que quando eu for mais grandinha, vai me levar para Atenas! Droga, por que tenho que crescer mais? Eu queria ir agora... 

Quando eu nasci, mamãe ficou assustada com o fato de eu ter seis dedos em um pé. Mandou logo chamar um curandeiro para dar fim ao pequeno intruso. Hehehe 
Eu não iria me importar de ter um dedo a mais. Acho até que me ajudaria a me equilibrar melhor, mas mamãe diz que as outras crianças caçoariam de mim, por isso mandou tirar. 
Eu entendo, mamãe quer meu bem. Ela está me ensinando a cozinhar, mas é minha irmãzinha que gosta mais. Eu prefiro os pergaminhos... Através deles posso conhecer o mundo! 

Nestor conta muitas histórias, sobre várias coisas e pessoas. Gosto de histórias de amor e de guerra, onde o herói chega e põe a bandidagem pra correr! Hercules, Aquiles, Teseu, Édipo... São alguns dos grandes heróis aqui da Grécia. E também tem a Atlanta, uma mulher! Nossa, uma mulher guerreira, que fantástico! E ainda tem as amazonas, mulheres estranhas que vivem na floresta. Nestor conta umas histórias sobre elas que me deixam com medo... 
Mas já imaginou? Eu, Gabrielle de Potédia, uma guerreira? Eu iria acabar com as tragédias desse mundo e deixar as pessoas mais felizes! Guerreira Gabrielle... Hum... Que demais! 

Bom, agora que falei já um pouco sobre mim pra você, querido primeiro pergaminho, deixe-me contar-lhe como foi meu dia hoje... 

Eu acordei cedo, ajudei mamãe com o café da manhã, chamei Lila, tomamos todos o café. Papai saiu pra cuidar das plantações, como sempre faz. Lila ficou com dor de barriga e eu fiquei pensando 'Será que fiz algo errado no café? Coloquei mel demais no bolo?' 
Então, chamei Lila para brincar, mas ela estava realmente mal. Resolvi não sair e fiquei com ela. Após tomar um chá preparado por mamãe, ela sentiu-se melhor. O sol já estava quase no topo do céu quando fomos pra rua. Como sempre, antes de cruzarmos a porta, mamãe gritou 'Não vão pra muito longe, crianças!'.
Eu costumo obedecer meus pais, mas pedir pra não ir pra longe, é algo que não posso acatar. Lila e eu adoramos brincar de estrangeiras, adentrando a mata e fingindo que estamos perdidas numa terra nova! Procuramos por Perdicas e Seraphin, mas ele havia saído com seu pai. Perdicas quer aprender a arte do campo e volta e meia vai com o pai arar a terra. Seraphin havia ido ao mercadinho com sua mãe. Hoje as brincadeiras se limitaram... Droga! 

Mas tudo bem, amanhã é outro dia!

Lila começou a sentir-se mal de novo e voltamos pra casa. Aqui a gente brincou de mímica, onde uma fazia gestos representando algo e a outra tentava descobrir o que era. Foi legal, mas eu queria mesmo era estar lá fora... 

No fim da tarde, após Lila pegar no sono, devido a quantidade de chá que ingeriu, fui ver Nestor. Ele disse estar me esperando e estendeu-me um rolo de pergaminho. Quando abri, vi que não havia nada escrito. Perguntei o que era e ele me disse 'Este é seu, Gabrielle! Você é quem irá preenchê-lo!'. Pelos deuses, quase desmaiei de emoção! Era você, querido pergaminho, meu primeiro pergaminho! Agora poderei relatar tudo o que acontece aqui. 

Nestor disse que me dará mais pergaminhos depois... Que incrível! 

Bem, é isso! O sono está me deixando tonta aqui sobre você, pergaminho! Amanhã eu volto pra gente continuar! 

Boa noite!"



por Math Pitbull


Comentários
1 Comentários

Um comentário:

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos