Máquina da Verdade - Autolycus



Após uma disputa acirrada com Hercules, por apenas 1 voto ele foi o escolhido para participar hoje da Máquina da Verdade. Estamos falando de Autolycus, mais conhecido como O Rei dos Ladrões!

Autolycus (convencido) - Não é todo dia que se vence uma disputa com o grandão!

- Pois é. Essa você venceu! Mas, infelizmente, ninguém enviou perguntas pra você.

Autolycus (incrédulo) - Não? Então votam em mim e não me enviam perguntas... Isso só pode ser uma piada!

- É uma pena, mas é verdade.

Autolycus (dando de ombros) - Tudo bem, vai! Eu entendo que as pessoas têm certo receio de entrar em contato com ladrões. Isso é preconceito, discriminação, mas... Eu estou acostumado. 

- Por falar em ladrões, o que levou você a roubar? 

Autolycus (pensativo) - Bem, eu preciso ganhar a vida de alguma forma.

Autolycus - Ah, eu não gosto de me lembrar disso! Mas tudo bem, estou aqui por essa razão. Quando eu era jovem, quer dizer, mais jovem, porque eu estou na flor da idade agora... Hehehe... Bem, meu irmão foi assassinado por Tarsus e para me vingar eu o roubei e dei tudo aos pobres. Aí eu acabei tomando gosto pela coisa. Vi que sabia fazer e tornei isso meu ganha pão.

- Esse Tarsus é o mesmo que você pensou em matar, certo?

Autolycus - Sim. Mas Xena me fez ver que matar não é solução para nada.

- Por falar em Xena, você sempre teve uma queda por ela, não?

Autolycus (rindo) - O que é isso? Xena é minha grande amiga...

Autolycus - Peraí! Eu não estou mentindo ao dizer que ela é minha grande amiga!

- Sim, mas a pergunta não foi essa...

Autolycus - Certo... Ok! Quem aqui não tiver uma queda pela Xena atire a primeira pedra! Ela é linda, como não sentir nada?

- Verdade, Autolycus. Deixe-me perguntar-lhe: Apesar da fama de ladrão...

Autolycus (contestando) - Opa, opa! Não fale assim! Me chamando apenas de ladrão você me coloca no mesmo patamar que os outros. Eu não sou um ladrão qualquer... (alisando levemente os bigodes) Sou O Rei dos Ladrões.

- Claro, claro, desculpe-me. Reformulando a pergunta: Apesar da fama de Rei dos Ladrões, Xena e outras pessoas dizem que você tem um coração de ouro. Isso é mesmo verdade?

Autolycus - Esse tipo de comentário fere a minha reputação... Sabe, não posso sair por aí fazendo o bem pra todo mundo, senão a carreira que levei anos a estabelecer fica prejudicada. Mas... não posso negar que não sou um mau caráter. Ao contrário dos outros ladrões, eu tenho caráter! 

- Você já parou pra pensar que é justamente isso que faz de você O Rei dos Ladrões?

Autolycus - Não, mas faz muito sentido. Creio que esse meu diferencial ajude sim.

- Bom, me diga: como foi ter o espírito de Xena dentro de você e comandando seus atos?

Autolycus - Foi uma experiência muito louca. Mas me ajudou a conhecer melhor as mulheres, sabe? Durante o tempo que Xena ficou no meu corpo, eu passei por coisas que jamais passaria se não fosse por isso.

- Como o que, por exemplo?

Autolycus (divertido) - Hahaha. Xena se aproveitou de mim. Me fez fazer xixi sentado e tudo mais... Que horror! Mas é verdade. Apesar de estar morta, Xena não deixou de me zoar. 

- E aquela mão na bunda da Gabrielle?

Autolycus - Aquilo não foi coisa minha. Eu apenas esqueci a mão lá. 

Autolycus - Tá, eu vi que minha mão ficou lá e deixei involuntariamente. Eu não esqueci, apenas relaxei. Mas não fui eu quem começou, foi a danada da Xena.

- Você é um homem galanteador e confiante. Por que você nunca se casou ou manteve um relacionamento? 

Autolycus - Ah, é difícil para um homem como eu se amarrar. Eu viajo por todos os cantos, cada dia estou num lugar diferente. 

- Mas você pensa nisso? Casar-se, ter filhos e fazer outra atividade?

Autolycus - Já pensei, mas o que eu poderia fazer se minha arte é roubar? E mais difícil que isso seria encontrar alguém que compreendesse meu modo de vida. E eu entendo, porque o que faço é arriscado. Em todo lugar tem alguém que quer a minha cabeça. Se eu tiver mulher e filhos, então, seriam mais cabeças à prêmio. Não quero isso! Não quero arriscar vidas inocentes. Prefiro viver assim, de acasos...

- Por que o nervosismo?

Autolycus - É porque a gente nunca sabe o dia de amanhã. Estou dizendo isso, mas quem sabe o que poderá acontecer no futuro?

- Está certo. Como foi passar um tempo com as amazonas?

Autolycus (com cara de safado) - Produtivo.

- Como assim?

Autolycus - Vai me dizer que você não sabe do que eu estou falando? Ser o único homem no meio de tantas mulheres é incrível. Você se sente como um sultão e...

Autolycus - Ok, ok, não é só isso. Aprendi muito com elas também. Aprendi que as mulheres sabem se virar muito bem sozinhas. Mas que eu me imaginei um sultão num harém, imaginei! (risos)

- Muito bem, Autolycus! Muito agradável tê-lo aqui! Obrigado!

Autolycus - Mas já acabou? 

- Pois é. Em nosso estoque de perguntas, só tínhamos essas. 

Autolycus - Ok. (cochichando) Quando precisarem de algo que, digamos, seja necessário... roubar... me chamem, certo?

- Er... (tosse disfarçada) Sim, sim, chamaremos.

Autolycus - Ótimo!

- Bem, por hoje é isso! Xenites, votem e enviem perguntas para nossos convidados, certo? Não se acanhem!  Sua participação é muito importante aqui nesse espaço! Valeu! Até a próxima terça!



por Math Pitbull



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos