Poema de Sapho - Many Happy Returns



No 19º episódio da 6ª temporada de Xena Princesa Guerreira, Many Happy Returns, é aniversário de Gabrielle e Xena pretende presenteá-la levando-a à uma apresentação de Sapho, poetisa de grande renome na Grécia Antiga.

Nem todos sabem, mas Sapho realmente existiu, bem como o poema que Xena dá à Gabrielle ao final do episódio. 

Devido ao imprevisto de ter que salvar e impedir que uma garota virgem seja sacrificada, entre outras coisas, Gabrielle fica sem a primeira idéia de presente que Xena tinha em mente pra ela, mas, a Princesa Guerreira, que não é boba nem nada, conseguiu com que Sapho escrevesse um poema para Gabrielle.

Dentro das possibilidades de alguém que vive nas ruas, Xena e Gabrielle comemoram o aniversário da pequena guerreira junto ao mar, sob a luz do luar, acompanhadas por uma bebida, em um clima super romântico. 



Enquanto elas conversam sobre o dia agitado que tiveram, Xena pede para que Gabrielle feche os olhos. Mesmo desconfiada, a garota fecha os olhos (1) e aguarda pelo que está por vir. 
Antes de entregar o presente, Xena contempla a imagem de sua amada com o olhar mais apaixonado que ela já pode lançar à alguém na vida (2). Então, ela coloca lentamente o pergaminho com o poema sobre as pernas de Gabrielle (3).
Enquanto a loira lê o poema (4), Xena continua olhando-a da mesma forma apaixonada, e agora também tímida (5).
Gabrielle chega nas partes mais reveladoras do poema (6), deixando Xena ainda mais acanhada e emocionada (7). 
Ao final da leitura do poema, Gabrielle sorri e agradece, dizendo ser lindo o que acabara de ler (8). Xena fica ainda mais emocionada e orgulhosa de si mesma por ter tido a coragem de dizer o que queria através de um poema, e por saber que seu sentimento é correspondido (9).
Elas se abraçam, apaixonadas, com um ar de alívio, compreensão e companheirismo (10). Xena toma o elmo de Hermes (em seu poder na ocasião) e o coloca (11). 
Xena segura Gabrielle e juntas elas sobrevoam as águas, aproveitando um raro momento de intimidade e liberdade total (12).

Quando estamos apaixonados e juntos à pessoa amada, sentimos como se o tempo parasse, como se nossos pés saíssem do chão, nos fazendo flutuar. E é isso o que o final desse episódio significa: o elmo de Hermes (que permite voar) é apenas um modo material para explicar tamanho amor, tamanha emoção, tamanha sensação de desprendimento que os pés tem do chão quando dois seres que se amam comemoram e vivem esse amor. 

Abaixo, o trecho do poema de Sapho utilizado no episódio:

"Há um momento quando olho pra você
e fico sem o que dizer. 
Minha língua se quebra
E o fogo corre sob minha pele e tremo. 
E empalideço por morrer de tanto amor.
Ou pelo menos é o que me parece"


Como dito, esse é um poema verdadeiro, escrito por Sapho, em um momento de grande dor. 
Ela amava Atis, mas esta apaixonou-se por um rapaz. E Sapho, movida pelo ciúme, escreve as seguintes linhas:

"Parece-me igual aos deuses
ser aquele homem que, à sua frente sentado,
de perto, doces palavras, inclinando o rosto,
escuta,
e quando te ris, provocando o desejo; isso, eu juro,
me faz com pavor bater o coração no peito;
eu te vejo um instante apenas e as palavras
todas me abandonam;
a língua se parte; debaixo da minha pele,
no mesmo instante, corre um fogo sutil;
meus olhos me vêem; zumbem
meus ouvidos
um frio suor me recobre, um frêmito me apodera
do corpo todo, mais verde que
as ervas eu fico
e que já estou morta
parece (...)
Mas (...)". 


Uma outra tradução para o poema seria o seguinte:

"Semelhante aos deuses parece-me que há de ser o feliz
mancebo que, sentado à tua frente, ou ao teu lado,
te contemple e, em silêncio, te ouça a argêntea voz
e o riso abafado do amor. Oh, isso - isso só - é bastante
para ferir-me o perturbado coração, fazendo-o tremer
dentro do meu peito!
Pois basta que, por um instante, eu te veja
para que, como por magia, minha voz emudeça;
sim, basta isso, para que minha língua se paralise,
e eu sinta sob a carne impalpável fogo
a incendiar-me as entranhas.
Meus olhos ficam cegos e um fragor de ondas
soa-me aos ouvidos;
o suor desce-me em rios pelo corpo, um tremor (...)"

Por que justamente o trecho mais apaixonado de um poema de Sapho, escrito à sua amada, foi utilizado em Xena Princesa Guerreira? 
Adivinhou quem disse: 
"Para que não restassem dúvidas sobre o amor entre Xena e Gabrielle"




por Matheus Pitbull


 

Comentários
4 Comentários

4 comentários:

  1. Adorei Matheus,pois não sabia que o poema é verdadeiro.É isso mesmo para não restar nenhuma dúvida o jeito que a Xena pede pra Gabi fechar os olhos é de arrepiar. Amo esse epsódio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade... Xena, nesse momento em que ela pede para Gabrielle fechar os olhos, aquele ar descontraído de segundos atrás transforma-se. Xena é sarcástica, brincalhona, irônica, sacana, mas na hora de falar sério com Gabrielle e demonstrar o sentimento lindo que ela tem, tudo isso cai por terra e uma Xena extremamente romântica e apaixonada surge lindamente, para o deleite de Gabrielle e nosso, pois podemos desfrutar desse lado dela que só aparece forte quando se trata de Gabrielle.

      Excluir
  2. Nunca consegui assistir a sexta temporada de Xena, mas do jeito que você descreveu a cena foi como se pudesse ver. Acho lindo esse amor entre Xena e Gabrielle, ele é puro e desinteressado, algo difícil de ver hoje em dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anderson, você está certíssimo! O amor delas é lindo demais, diferente e mais especial do que qualquer outro que já vi.
      Estamos tentando uma maneira para poder disponibilizar as temporadas aqui no blog, inclusive a sexta. Aguarde...

      Abraço :)

      Excluir

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos