Máquina da Verdade - Lila




Ela é simplesmente a única irmã de Gabrielle, o que a torna uma das personagens mais queridas da série, mesmo tendo aparecido tão pouco. Seu jeito simples e pacato de ser, juntamente com o imenso amor que sente pela irmã, não nos dá razões para criticá-la e sim para admirá-la e ter-lhe carinho. 
Hoje, na Máquina da Verdade, Lila. 


- Seja bem vinda, Lila!

Lila (sorrindo empolgada) - Obrigada. Ai, que legal!

- O que é legal?

Lila - Estar aqui... ter sido chamada pra dar entrevista... 

- Que bom que você está contente. Saiba que três xenites lhe enviaram perguntas.

Lila (surpresa) - Sério? Nossa, que alegria! 

- Pois é. Mas receio que há uma ou outra pergunta repetida. Vamos começar e vamos vendo na medida em que elas forem sendo feitas, ok?

Lila - Ok.

- Certo. A primeira pergunta foi enviada pela Bruna: 

- Lila, você sempre aceitou muito bem a relação de Gabrielle com Xena. Você sempre soube que sua irmã gostava de meninas?

Lila (mais séria) - Bom, começamos com um assunto sério. Muito bem, primeiro quero dizer que não foi sempre que aceitei a relação de minha irmã com Xena, mas voltando à pergunta: a resposta é não. Gabrielle sempre foi meio maluca... em tudo. Nunca deu muito pra saber o que se passava realmente na cabeça dela. 


- Hum... próxima pergunta, também da Bruna:

- Sua irmã tem uma personalidade totalmente diferente da sua. Alguma vez você já teve vontade de segui-la para viver as aventuras junto com ela?

Lila (dando uma leve risada) - Sinceramente, não. Hehehe. Gosto de ter a minha casinha, minhas coisinhas, viver em paz cuidando de tudo da melhor maneira possível, sem ter maiores estresses. Não posso dizer que aprendi muito com minha irmã, mas não quero sair por aí mostrando isso... (risos)


- Muito bem. A Bruna tem mais uma pergunta aqui pra você:

- Como foi o reencontro com sua filha depois de tantos anos?

Lila (com os olhos brilhando) - Então, quando Gabrielle saiu lá de casa cheia de ódio, dizendo que traria Sarah de volta, eu fiquei pior do que eu estava, pra dizer bem a verdade. Aquela gente do Gurkhan é cruel e para mim ela já estava morta há anos. Poder revê-la e tê-la em meus braços é uma sensação que só quem é mãe pode entender. Você perde sua filha, acredita que ela está morta... de repente ela aparece maior e mais velha, mas você olha e vê aquela garotinha de antes... Eu voltei no tempo na hora, não tem como explicar em palavras. Foi como... foi como ter dado à luz novamente. 


- Que lindo, Lila! Vamos para a penúltima pergunta da Bruna:

- Falando nela, ela parecia ter uma personalidade muito forte. Você acha que ela puxou seu pai?

Lila - Como eu perdi parte da criação de Sarah não posso dizer com clareza... pois o que a gente vive no decorrer da vida pode ajudar a moldar o nosso jeito de ser. Mas, quando ela era criança, Sarah era uma menina que estava sempre sorrindo, não tinha muito do meu pai não... lembrava mais a tia dela. 


- Última pergunta dessa xenite:

- Do que você mais se arrepende por não ter feito?

Lila (pensativa) - Não sei... Talvez por não ter cuidado melhor dos meus pais, do meu marido, da minha filha...


- Como assim, você se sente culpada pelo que houve com eles?

Lila - Às vezes, sim...

- Não havia nada que você pudesse ter feito.

Lila - Por isso mesmo. É isso: se eu tivesse aprendido a lutar como Gabrielle talvez eu pudesse ter feito alguma coisa para defendê-los. Acho que essa é a resposta: me arrependo de não ter aprendido a lutar. 


- Sinto muito... Bom, agora tenho aqui duas perguntas enviadas pela Hall Lee. Vamos lá:

- Lila, alguma vez você se deu conta que Gabrielle namorava a Xena? Como foi sua reação?

Lila (recompondo-se da emoção anterior) - Sim, me dei conta quando percebi que ela não voltava mais pra casa. Os boatos correm e chegaram até Potédia. Ainda me lembro de ver meu pai louco da vida querendo sair a procura de Gabrielle e minha mãe tentando acalmá-lo. 


- Por falar em seus pais, aonde eles estavam quando Gabrielle retornou para Potédia, até que vocês estavam passando por dificuldades e o Meleager estava por lá e tal.

Lila (alargando os olhos) - Mas então vocês não sabem?... Foi por isso. Meu pai inventou de sair pela Grécia para encontrar Gabrielle e minha mãe foi com ele, claro. Eles simplesmente arranjaram uma carroça e se foram, me deixando aqui. Me lembro muito bem de meu pai na carroça me dizendo "Ai de você se eu voltar e souber que alguma guerreira esteve por aqui e você se foi com ela!"


- Wow! (chocado)

Lila - Pois é isso aí... 

- Ok. A outra pergunta de Hall Lee é:

- Lila, como era ter a Xena como cunhada?

Lila (rindo) - Ah, é ótimo! Com Xena por perto não há o que temer. Se ela estivesse por aqui em certos momentos, muitas coisas seriam diferentes... (leve entristecimento) Mas quando eu digo "Eu conheço a Xena! Ela é minha parente." , gente, é outra coisa, as pessoas ficam perturbadas... hahaha


- A última xenite a eviar perguntas foi a M. Lima. Ela começa perguntando o seguinte:

- Lila, em qual momento você percebeu que sua irmã era "diferente"?? O que foi mais difícil pra você: Aceitar essa diferença ou suportar sua ausência?

Lila - Bem, eu percebi mesmo, mesmo, quando os tais boatos começaram a circular nos meus ouvidos... Inicialmente, eu achei estranho saber que minha irmã não iria se casar e ter filhos como eu sonhava pra mim, mas o que me deixou mais triste foi ter que me acostumar a não tê-la por perto. Minha única irmã, né? Minha única amiga. Não é fácil ficar longe de quem a gente ama e mais confia no mundo...


- Verdade. Bom, a última pergunta da M. Lima é a mesma que a da Hall Lee, sobre como é ter Xena como cunhada. Então, vamos encerrar com a outra pergunta dela pra você, ok?

- Você ficou chateada com a Xena por ela ter levado sua irmã embora?

Lila - Com Xena mesmo, não. Fiquei chateada com a Gabrielle. Eu achava que ela não aguentaria essa vida de aventuras que ela tanto falava. Como eu disse, minha irmã sempre foi maluca e nunca levei muito a sério as coisas que ela dizia. Então, ao constatar que era verdade, eu fiquei bem triste com ela. Também odiei Xena por isso, afinal, ela foi a razão pela qual Gabrielle nos deixou. 


- Lila, você não mente não? (risos) Acho que nunca tivemos um convidado que não provocou o aparecimento da luz vermelha. 

Lila (sorrindo) - Posso mentir da próxima vez, se preferir... (risos) 

- Obrigado pela sua presença. Esperamos vê-la mais vezes, ok?

Lila - Claro. Obrigado também.



- Bem, pessoal, essa foi a Máquina da Verdade com nossa querida Lila.
Para a próxima edição, faremos como na edição anterior:

Vote no episódio de sua preferência. Do episódio escolhido, votaremos no personagem preferido que participou deste determinado episódio, com exceção de Xena e Gabrielle. 
Você sabe, perguntas à elas podem ser enviadas sempre!





por Matheus Pitbull


















Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos