Fio da Vida - Biografias - Velasca, Amazona e Deusa do Caos




Filha de uma das amazonas da tribo liderada pela Rainha Melosa, Velasca nasceu e recebeu a criação que toda menina amazona recebe, dentro das tradições amazonas, aprendendo, desde que começou a andar e falar, a lutar e defender a si mesma e a suas companheiras. 
Aos cinco anos de idade, Velasca já se destacava por sua habilidade com as armas. Muito esperta e traquinas, aproveitava os momentos de lazer para aprontar com as demais amazonas. Certa vez, durante uma séria reunião entre as amazonas pertencentes ao tribunal, Velasca entrou sorrateiramente sem que ninguém a visse e se pôs atrás das demais. Calmamente, ela pegava os cabelos de uma e amarrava nos das outras. Ao fim da reunião, ao tentarem se afastar, as amazonas estavam grudadas. Algumas mais afoitas, com pressa para sair da cabana da Rainha, arrancavam os cabelos umas das outras. A mãe de Velasca, assim como Melosa, não foram suas vítimas e logo perceberam quem havia cometido tamanha malcriação. Elas conheciam muito bem aquela pequena amazona... 
Melosa encontrou a pequena menina atrás de uma pedra lá fora rindo sem parar de seu grande feito.
As outras meninas também não tinham sossego quando Velasca brincava com elas. Sempre trapaceando, ela levava a melhor em todas as brincadeiras. Teve uma vez que uma das meninas caiu e se machucou, fazendo-a chorar. Todas correram para ajudá-la, enquanto Velasca ria e dizia "Imbecil! Como pôde cair fazendo algo tão simples? Que espécie de amazona você será no futuro? Hahahaháh!!".
Sua mãe não lhe dava castigos, pois Velasca, com um olhar angelical, dizia e a convencia que o que fazia era brincadeira e eram as outras que não entendiam, mas ao ser questionada por Melosa, a mãe dizia que não aplicava castigos à filha por achar que isso poderia afetar sua capacidade admirável nas artes da luta e, assim, Velasca era uma menina mimada e dona de si. No fundo, ela sentia um amor incondicional por sua mãe e não queria magoá-la. 

Velasca aos 7 anos

Ao entrar na adolescência, Velasca foi acometida por uma triste notícia: devido a uma guerra travada entre amazonas e centauros, sua mãe fora morta em combate. Velasca também participara lutando na guerra, mas estava em outro ponto do campo de batalha enquanto sua mãe estava ao lado de Melosa com as amazonas mais experientes na linha de frente. A jovem culpou Melosa pela morte da mãe, pois pouco antes da guerra iniciar, ela havia pedido para lutar no mesmo grupo que elas, porém Melosa não permitiu. Velasca dizia, cheia de rancor, para Melosa "Se você tivesse me deixado ir com vocês, eu teria defendido minha mãe e ela não estaria morta agora!". 
A partir desse ocorrido, a relação das duas nunca mais foi a mesma. A mãe de Velasca era muito amada por Melosa e esta decidira criar a garota como sua própria filha. A jovem aceitou sem questionar, afinal, sabendo que sua mãe seria a sucessora de Melosa, numa conversa que ouvira escondida certa vez entre elas, Velasca acreditava que, sendo ela considerada filha da Rainha e cuja mãe não poderia assumir o direito de casta, se tornaria a Princesa Amazona em seu lugar por direito.
Velasca mantinha uma relação amigável com sua mãe adotiva, mas em seu íntimo sempre a culpara pela morte de sua verdadeira mãe. Ao saber que a Rainha ordenara as amazonas a iniciar os preparativos para a nomeação da Princesa, Velasca animou-se. Tomou um banho demorado, arrumou bem os cabelos, ajeitou perfeitamente suas roupas e perfumou-se, chegando imponente à cerimônia. Melosa começou a falar de sua futura sucessora sem dizer o nome. Diante de tantos elogios, Velasca tinha a certeza que se tratava dela, mas para sua surpresa e de muitas outras amazonas, Terreis, irmã mais jovem de Melosa, fora a escolhida. No mesmo momento, Velasca gritou "Não! Esse direito é meu! Rainha Melosa, eu te desafio!" e já foi puxando a espada das costas. Antes que pudesse dizer alguma coisa, Melosa viu-se obrigada a defender-se, até que, após muitos golpes, imobilizou a jovem, vencendo o desafio. 
Sentindo-se humilhada, Velasca deixou a vila. 
Sem encontrar muito o que comer e nada mais o que vestir em plena mata, sozinha e amargurada, seu pensamento concentrava-se unica e exclusivamente em vingança. E foi isso o que a motivou a continuar vivendo e treinando... 
Em uma pequena cabana, feita por ela mesma, que servia apenas para dormir, e construindo armas com o que achava na floresta, Velasca treinava diariamente, fosse numa árvore ou pedra ou animal ou com algum ladrão desavisado que ousasse cruzar o seu caminho. 
Sentindo-se, enfim, preparada para derrotar Melosa, ela resolveu retornar para a vila das amazonas e lançar um novo desafio. Ao chegar, foi vista por uma velha amiga, que lhe falou sobre a morte de Terreis e que esta havia passado seu direito à casta para uma não amazona que nem sequer ficou vivendo com elas e que, provavelmente, jamais retornaria. Sua amiga completou dizendo que ela poderia reivindicar a máscara, mas Velasca não lhe deu ouvidos e seguiu até a cabana de Melosa. O desafio foi lançado e, desta vez, Velasca saiu vitoriosa, matando a Rainha e assumindo seu posto. 
Para algumas, o combate fazia jus as tradições e aceitaram-na no comando sem titubear. Para outras, o reinado de Velasca era um tormento. Ela tinha pretensão de expandir as terras amazonas e levá-las até o rio onde ficava a terra dos centauros e isso poderia iniciar uma nova guerra entre eles, coisa essa que havia sido controlada quando Xena e Gabrielle interviram na última vez em que eles se enfrentaram. 
Apesar de seus ideais desconfortáveis para algumas, Velasca fazia um bom reinado e durante 1 ano a tribo amazona se manteve bem alicerçada. 
Num belo dia, ao fazerem a ronda de rotina pelos arredores da tribo, Velasca e as demais encontraram Gabrielle, que levava o corpo de Xena para Amphipolis. Mesmo não gostando da idéia, Velasca aceitou que o corpo de Xena fosse levado para ser cremado num funeral amazona. Não exatamente por causa de Xena, mas sim pelo retorno da verdadeira Princesa, aquela que representava-lhe uma ameaça. 
Entretanto, Velasca viu em Gabrielle apenas uma menina, sem nenhuma experiência, além de ser alguém sem sangue amazona, e isso a acalmou. Mal sabia ela que Gabrielle era dona de uma personalidade forte e que, aconselhada por Ephiny, decidiria assumir o posto de Rainha. 
Após uma conversa com Gabrielle, Velasca acreditou que, durante a cerimônia de entrega da máscara, ela a nomearia Rainha, mas como da primeira vez, isso novamente não aconteceu.
Mas dessa vez Velasca não foi embora e ficou, com a intenção de desafiar Gabrielle logo após o funeral de Xena. Porém, a Princesa Guerreira, que estava no corpo de Autolycus, apareceu e levou a Rainha com ela. Velasca aproveitou o ocorrido e convenceu a maioria das amazonas que Gabrielle era uma traidora da nação, prendendo Ephiny e as outras poucas que ficaram a seu lado. 
Junto com as demais, Velasca saiu para capturar Gabrielle e Autolycus, para assim matá-los. Foi quando, seguindo seus rastros, ela soube a respeito da ambrosia. Tendo Autolycus como seu prisioneiro, Velasca tentou forçar-lhe a dizer como ela conseguiria a comida dos deuses e viu a adaga de Helio em sua bota. Logo ela deduziu que a adaga faria com que ela conseguisse a ambrosia e seguiu sozinha ao local. 
Prestes a conseguir seu objetivo, Velasca é surpreendida pela chegada de Autolycus e Gabrielle, que tem seu corpo tomado pela alma de Xena e luta contra ela, vencendo o combate. Porém, Velasca sobrevivera e conseguiu obter um pedaço da ambrosia. 


Na tribo, Gabrielle resolve nomear Ephiny como sua sucessora quando Velasca aparece muito machucada e portando a ambrosia, comendo-a em seguida e transformando-se em uma deusa. Ela inicia um ataque cruel às amazonas, as quais ela julgou como traidoras, e destruiu boa parte da tribo. Enfraquecida devido a pouca experiência como deusa, Velasca deixa Gabrielle, Xena e as demais fugirem. Mas ela quer vingança e não desiste de sua caça. 
Enquanto aproveitava sua nova condição, Velasca foi até o reino da deusa Artemis para dizer-lhe que agora não precisava mais dela e sim que era sua inimiga, se auto-intitulando como a deusa do caos. 
Com o sentido aguçado, Velasca encontra Gabrielle, mas é impedida por Callisto e Xena de fazer-lhe qualquer mal. Seu ódio, então, aumentou ainda mais. 
Sem saber que Xena havia armado um plano para liquidá-la, Velasca seguiu até uma ponte de cordas, onde encontrou Gabrielle. Quando se preparava para matá-la, ela foi surpreendida por Callisto, que exigia obter da ambrosia e conseguiu. Agora tendo que lutar contra uma semelhante, Velasca não teve mais tempo para se vingar de Gabrielle. Foi quando Xena cortou as cordas da ponte e Velasca, juntamente com Callisto, caiu em um rio de lava, ficando aprisionada para sempre...




por Math Pitbull

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Masssssssssssssssssssssssssssssssssa, ADOREEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI!!!!!!!

    ResponderExcluir

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos