Máquina da Verdade - Brunhilda




Uma das Valquírias mais poderosas de Valhala, ela enfrentou Odin, o rei dos deuses nórdicos, em prol do amor que sentia por Gabrielle. Um sentimento que começou egoísta mas, que no fim, transformou-se em completa doação. 
Estamos falando de Brunhilda, a garota da chama eterna! Hoje, aqui conosco, na Máquina da Verdade!

- Então, Brunhilda, preparada?

Brunhilda (sorridente) - Sim, claro. Fiquei muito feliz por terem me escolhido na enquete.

- Er... pois é, o pessoal votou em você, mas apenas uma pessoa lhe enviou perguntas...

Brunhilda (um tanto triste) - Puxa, eu saio de Valhala para responder as perguntas dos meus fãs e somente uma pessoa quer saber algo sobre mim?

- Sinto muito, nem sei o que dizer à você. De qualquer forma, faremos antes algumas perguntas que, provavelmente, são curiosidades dos xenites.

Brunhilda - Posso imaginar exatamente o que vem por aí... (risos)

- Hehe, então, podemos começar?

Brunhilda - Pode, pode sim...

- Ok. Brunhilda, o povo quer saber:

- Sobre Gabrielle...

Brunhilda (despreocupadamente) - O que foi que eu disse?

- Verdade... sobre Gabrielle, o que você pretendia fazer com ela? Digo, se ela decidisse dar uma chance à você, o que aconteceria?

Brunhilda - Aconteceria que eu faria dela a pessoa mais feliz do mundo, com certeza. (entristecida) Mas, eu entendi que o lugar dela é ao lado de Xena.


- Nossa próxima pergunta é:

- Como é a sua relação com as outras valquírias? Você sempre foi a mais rebelde? Digo isso porque suas roupas, por exemplo, são diferentes...

Brunhilda - Digamos que sim... Eu nunca gostei muito de fazer apenas uma coisa, como elas fazem, mas minha relação com elas era bastante amigável, até o momento em que precisei lutar contra elas e Odin. Agora, se posso ser considerada rebelde... talvez.


- Mais uma pergunta nossa e já iremos para as perguntas da xenite Nina, ok?

Brunhilda - Certo.

- O que motivou você a querer lutar primeiramente contra Xena e depois contra Odin? Seu amor por Gabrielle ou seu ciúme?

Brunhilda (pensativa) - Acho que um pouco dos dois. Primeiro, eu fiquei realmente com ciúmes de Xena e confesso que preferia que ela tivesse morrido ou sumido, assim eu teria mais chances com Gabrielle. Porém, a própria Gabrielle me ensinou que amar é doar-se, como ela faz com Xena, e então eu lutei por amor e não mais por ciúmes.


- Muito bem, Bru. Posso te chamar assim?

Brunhilda (sorridente) - Pode sim, claro.

- Obrigado, Bru. Vamos para as perguntas da Nina agora:

- A partir de qual momento você percebeu que Gabrielle era a mulher da sua vida? O que mais atraiu você nela?

Brunhilda (pausa) - Hum... Eu acho que sempre soube... Foi amor a primeira vista. Eu nunca tinha visto uma moça tão linda, tão meiga, tão inteligente, tão... Enfim, tudo nela me atraiu.


- Você deu uma grande prova de amor à Gabrielle protegendo-a com suas chamas, mas o que houve com você após Xena atravessá-la e despertar Gabrielle?

Brunhilda - Bem, usar o poder da chama não é para qualquer valquíria. É preciso muito conhecimento e força. Mesmo assim, após a chama ser desfeita, precisamos de um tempo para nos recompormos e, então, voltamos ao normal. Explicando melhor, precisei repousar por um tempo, digamos assim. 


- Você já foi uma das principais valquírias de Odin. Como era a relação entre vocês? Já tiveram um relacionamento carnal?

Brunhilda - Hahaha, não, não. Nem todas as valquírias vão pra cama com Odin. Ainda mais eu, que prefiro algo mais... hum... como posso dizer?... Mais jovem e com mais curvas, se é que me entende. (risos) Minha relação com Odin sempre foi um tanto fora do comum... como foi dito, posso ser considerada a ovelha negra das valquírias.


- Você não parece certa de sua resposta...

Brunhilda - Desculpe, mas deve ser a sua máquina que não funciona bem...

- Er... está bem. Vamos para a última pergunta então:

- Você disse que Xena era sua inspiração como guerreira, uma espécie de ídolo. Sendo assim, você acreditava mesmo que poderia vencê-la caso houvesse uma disputa entre vocês pelo amor de Gabrielle?

Brunhilda (desdenhando) - O fato de eu admirar Xena não a torna melhor do que eu. Sei de minha capacidade e não temeria uma luta contra ela. Sim, Xena tem uma vasta experiência como guerreira, mas isso eu também tenho. Posso garantir que seria uma luta bem equilibrada.


- Bem, Bru, terminamos. Obrigado por ter vindo.

Brunhilda - Obrigado também. Se precisarem de novo, estarei aqui, mas espero que mais pessoas me contatem. Deixar Valhala por tão pouco me desagrada. 

- Certo. Peço desculpas por isso novamente.

Brunhilda - Tudo bem. 

- Então é isso, pessoal! Continuem votando na enquete acima para escolher nosso próximo convidado! Até mais!




por Matheus Pitbull




Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos