Diário de Gabrielle - Provando a Teoria GabLes – O Aprendizado



Cap. 1 - Cap. 2 - Cap. 3 - Cap. 4 - Cap. 5 - Cap. 6 - Cap. 7 - Cap. 8 - Cap. 9 - Cap. 10



por Monique Cantuário






Tantos dias se passaram desde a última vez em que escrevi.

Pergaminho...
Estou vivendo tantas aventuras que estão me deixando quase sem tempo para escrever. A cada dia que passa, tenho mais certeza de que meu lugar é ao lado de Xena.
Não me vejo mais sem sua presença... Como se meu coração estivesse sendo dominado pela Princesa Guerreira... Sempre que estamos a sós, meu corpo é tomado por sensações estranhas... Às vezes me pego a observando e a visão chega a me entorpecer...

Pergaminho...
Será que estou me apaixonando... Sinto vontade de tê-la, abraçá-la, beijá-la...
Às vezes sinto como se ela também quisesse isso, mas também sinto como se não quisesse....
Deuses! Ela é tão difícil de decifrar... Seria tão mais fácil se ela me dissesse que sente o mesmo...
Mas infelizmente não é assim que funciona... Creio que Xena jamais faria isso... Pelo menos não comigo... O que ela vai querer com uma pirralha como eu? Nada mesmo!

Mas Deuses! Obrigada por fazerem com que ela me aceitasse ao seu lado.
Tanta coisa pra contar, algumas são quase impossíveis de acreditar. Nem eu acredito que já passei por todas essas situações em tão pouco tempo.
Nesse período ao lado de Xena, já aprendi sobre tantas coisas. Ele é uma grande mentora.
Houve um momento em que tudo o que eu mais queria era aprender a lutar, manusear uma espada para poder me defender. Mas Xena foi tratando de dizimar minha vontade, usando sua experiência e sabedoria para me dizer que, ao levantar uma espada, você se torna um alvo e que esse deve ser o último recurso. Em uma situação de perigo, me aconselhou a correr o máximo que eu pudesse, caso isso não fosse possível, eu teria que dialogar com o inimigo e aproveitou para me elogiar ao reconhecer meu talento com o diálogo, com a persuasão.

Apesar de tudo o que me disse... Minha curiosidade era gritante!
Não havia levado em conta todas as palavras que saíram de sua boca... Até que tive de pôr tudo em prática em uma terrível situação!
Em cada desafio, fui entendendo tudo o que ela havia dito... Sua voz ecoava em minha mente...
Quando tudo se resolveu, entendi que tudo o que Xena queria era apenas me proteger e que eu jamais poderia matar alguém, eu nunca faria algo assim... Mas senti como se ela quisesse me dizer algo... Como se Xena fosse chegar ao ponto de dizer que sente o mesmo por mim... Mas não... Não posso acreditar, não posso me iludir... Mas só sei que da próxima vez, controlarei a minha curiosidade...

Sem falar que mudei totalmente minha concepção com relação á morte...
Apesar de jamais querermos perder nossos entes queridos, a morte é como um conforto aos enfermos. Como seria horrível um mundo cheio de enfermidade sem o conforto da morte!
Ao contrário do que pensamos, ela pode não ser o fim, mas o início de uma nova vida... Um outro caminho...

Uma coisa que nunca mais farei e que causou uma tremenda confusão é me intrometer em rituais, porque Xena e eu quase fomos mortas por titãs! Mas graças aos deuses, tudo ficou bem! Mas algo me deixou intrigada...
Xena pegou Philius e eu deitados juntos... Percebi que ela ficou triste ao nos ver naquela situação... Senti também que ela ficou com ciúme... Mas ela me intriga, como pode uma pessoa demonstrar querer algo e depois demonstrar completamente o contrário? Sinceramente, não sou capaz de entender...

Mas Pergaminho...
Estou muito feliz, conheci o lendário semideus Hercules e seu amigo Iolaus. Foi uma aventura da qual jamais esquecerei!
O curioso foi o que aconteceu enquanto Iolaus e eu nos despedimos...
Ele me beijou, foi um beijo terno e carinhoso. A única coisa que senti foi uma imensa gratidão, até porque não nos conhecíamos direito e que de alguma forma eu poderia estar traindo Xena, pois eu só queria estar com ela, mas não consegui conter o ciúme que senti com relação a Xena e Hercules... Eles estavam tão íntimos, tão próximos... não suportei e jamais suportaria a ideia de vê-los juntos novamente...

Outro grande acontecimento que jamais irei esquecer...
Nós conhecemos a neta de Pandora e a unimos ao rei Gregor em prol da salvação de um lindo bebê... O emocionante mesmo foi tê-la conhecido!

Mas pergaminho...
Desde que deixei Potédia, abandonando minha família e meu noivo, pensei que demoraria muito tempo para que eu reencontrasse alguém de lá. Mas durante um pedido de Helena, para que Xena a ajudasse em Tróia, acabei reencontrando Perdicas, ele agora é um soldado e eu nunca poderia imaginar que o reencontraria e muito menos em Tróia!
Fiquei totalmente sem reação, eu havia o abandonado, mas acabamos conversando civilizadamente... ele não cometeu nenhuma loucura!
O fato é que depois nos beijamos, foi estranho, apesar de já tê-lo beijado... Mas esse foi diferente, senti como se beijasse um desconhecido... Foi completamente estranho... Até porque eu só conseguia pensar em Xena... Tenho certeza de que aquele beijo só fluiu, porque Xena esteve presente em minha memória...
Mas ao mesmo tempo, me senti horrível em beijar uma pessoa pensando em outra...
Pelos deuses! Como eu queria que aquele beijo fosse entre Xena e eu... Como eu queria que aqueles lábios fossem os dela...
Mas foi bom revê-lo e saber que estava tudo bem com ele.

Sem falar também no soco que Xena me deu na cara, quando tinha sido acusada de um crime que não cometeu! Os aldeões estavam dispostos a matá-la, mas eu não poderia deixar que tal brutalidade pudesse acontecer!
Estive disposta a dar minha vida, pois se eles a matassem, então que matassem nós duas. Eu não me importei se ela tivesse que morrer ali, eu iria com ela até o fim!
Mas tudo se resolveu, Xena não foi condenada.
Quando saímos da cidade, eu devolvi o soco, me arrependi amargamente, pois torci minha mão. Xena me explicou o porque de tudo aquilo ter acontecido. Tinha sido obra de Ares, o deus da guerra. A partir daí, passei a odiá-lo amargamente, ele queria torná-la uma assassina sanguinária, mas enquanto eu estiver com ela, jamais deixarei que isso aconteça, Xena jamais voltará àquela vida!

Mas pergaminho...
Por todos os deuses do monte Olimpo!
Ainda não consigo acreditar no que aconteceu comigo, logo eu, uma simples garotinha...
Meu querido pergaminho... Apresento-lhe:
Gabrielle, A Princesa Amazona!
Agora sou uma princesa, das grandes e lendárias amazonas gregas!
Tudo aconteceu por um infeliz acaso, quando passávamos por território amazona e Terreis, que era a princesa, tinha sido atingida por uma flecha, e por instinto tentei protegê-la, colocando minha vida em risco, mas foi tudo em vão.
Por essa minha atitude, antes de morrer, Terreis me passou todo seu direito de casta, eu não sabia do que se tratava, mas mesmo assim aceitei!
Unimos-nos às outras amazonas e levamos Terreis de volta à tribo. Quando chegamos, Melosa, que é a rainha, me explicou que pelo fato de Terreis ser a próxima na sucessão ao trono e havia me passado seu direito de casta, eu tinha me tornado uma princesa!
Quase cai pra trás com essa revelação e só conseguia pensar: “Como? Eu não sei lutar!”. Minha ficha não havia caído até que foi ordenado que me treinasse.
Na escolha de armas, optei pelo cajado, era menos perigoso e eu não corria o risco de me auto-mutilar. Desajeitada como sou, era bem capaz disso acontecer, caso eu escolhesse uma espada!
No início dos treinos, foi muito difícil, sem contar as vezes em que bati o cajado em minha cabeça, mas aos poucos fui pegando o jeito!
Ephiny, que era uma carrancuda e demonstrava não gostar de mim, até que foi paciente e me ensinou golpe a golpe!
Pergaminho...
Enfrentei uma prova de fogo, o acusado pelo assassinato de Terreis tinha sido um centauro e, de acordo com a tradição, o crime teria que ser vingado pela espada da assassinada. Quase tive que matá-lo, se não fosse por Xena ter aparecido trazendo notícias do verdadeiro assassino.
Infelizmente Melosa não se convenceu... Quando Xena me fez propor um desafio real. Fui tomada por um profundo medo quando Melosa perguntou se eu ia mesmo lutar com ela até a morte!
Se não fosse pela esperteza de Ephiny ao me informar que eu poderia escolher uma representante, acho que eu não estaria aqui agora, relatando todas essas coisas!
Claro, escolhi Xena. As duas lutavam divinamente bem. Mas Xena foi vitoriosa e graças aos deuses não matou Melosa... O que me deixou bastante aliviada!

Mas o melhor de tudo é que agora Xena precisaria de mim mais do que nunca! Eu não era apenas uma garotinha que ela tinha que proteger, agora eu sei lutar, sei me defender!
Às vezes, o medo de que Xena se cansasse de mim, pois eu poderia estar sendo um fardo pesado em suas costas, consumia meu coração e todos os dias eu pedia aos deuses para que isso nunca acontecesse, que esse dia nunca chegasse!
Mas agora...
Sinto-me mais confiante, todo o medo que eu sentia foi completamente dizimado e eu poderia dormir tranquila!
Sou uma princesa amazona, e que legal, eu sei lutar!

Quando temos algum tempo livre, Xena me ajuda nos treinos com o cajado. Dedico-me totalmente às aulas, os olhos de Xena brilham a cada movimento demonstrado e o quão orgulhosa ela fica ao me ensinar! Fico em total estado de devoção... Observando aquela mulher de beleza tão estonteante... Movimentando-se com muita precisão, força e, ao mesmo tempo, extrema delicadeza...

Pergaminho...
Xena chega a me entorpecer... Aqueles olhos azuis... Aquela força, determinação, independência...
Chego a me perguntar porque ela me deixou acompanhá-la... Acho que sou capaz de entender...
Xena é extremamente cuidadosa e paciente comigo. Em um dos treinos, durante a execução de um movimento, acabei torcendo o pé. Ela cuidou de mim, como nunca alguém havia cuidado antes!
Eram massagens, compressas de água fria, sempre me perguntando como eu me sentia. Fui tratada com muito carinho... Ainda consigo sentir aquelas mãos macias em meus pés... Eram os momentos mais íntimos entre Xena e eu... Cheguei a desejar que aquelas mãos subissem... Percorressem por todo meu corpo... Quando esses pensamentos inundavam minha mente... Meu corpo arrepiava, meu coração batia como se fosse explodir... Mas logo tratei de expulsar esses pensamentos, tudo o que eu menos queria era que ela percebesse algo...
Mas se eu demonstrasse? Será que ela aceitaria aquela situação, ou trataria de me explicar que tudo aquilo era confusão da minha cabeça?
Preferi não arriscar...
Melhorei em poucos dias... Ela é detentora de habilidades, das quais muitas são desconhecidas pra mim...

Pergaminho...
Houve uma vez em que pensei que perderia Xena para sempre...
Até hoje não sei se lamento ou se agradeço por Marcus ter morrido!
Sei que não devia pensar assim, mas fiquei muito triste e fui tomada por um sentimento que até então, era desconhecido pra mim...
O ciúme...
Mas com Xena, passei a conhecê-lo...
Marcus morreu após ser atingido por uma flecha que havia sido lançada pelo mercenário para o qual Marcus trabalhava. Xena o reencontrou durante uma missão de resgate à noiva do jovem príncipe Agranom. Meu medo era que Xena voltasse a ser o que era antes, voltasse àquela vida!
Até porque eu lutaria até o fim para evitar que isso acontecesse, mesmo que custasse minha vida!
Graças aos deuses, Xena havia conquistado seu objetivo, mas trazia consigo o corpo do homem que alegou ser seu amigo. Fizemos um funeral digno para ele!
Antes de irmos dormir, Xena me contou tudo sobre ele, o que ele representava em sua vida! Era seu antigo amor e, de certa forma, ela ainda era apaixonada por ele!
Ao ouvir tais palavras fui invadida por um ciúme avassalador! Não consegui mencionar uma só palavra, muito menos consegui olhar em seus olhos.
Uma infinidade de coisas invadiram minha mente e eu não consegui ouvir nada do que ela dizia! Fiquei assim por alguns instantes...
Tive que me recuperar e, a duras penas, não demonstrar o que eu estava sentindo, até porque naquele momento ela precisava de mim mais do que tudo!
Sentei-me ao seu lado e pacientemente escutei todo seu desabafo!

Demoramos a dormir, mas antes de nos deitarmos, fui arrumar minha coberta no local de sempre... Mas fui surpreendida por um pedido de Xena: queria que eu deitasse ao seu lado, que eu colocasse minha coberta ao lado da sua... Eu não precisava mais ficar tão longe... Acatei seu pedido, deitei-me do seu lado, fiquei de costas pra ela e de frente para a pequena fogueira...
Observei atentamente as chamas que aos poucos se apagavam e cai em sono profundo...
Durante a madrugada, senti algo me envolver pela cintura... Rapidamente abri os olhos e me dei conta de que Xena me envolvia em um forte abraço... Posicionando sua mão em meu ventre...
Senti sua respiração pesada e quente em minha nuca, tamanha era a aproximação...
O choque térmico do ar frio com o ar quente que Xena exalava, arrepiava minha pele!
Demorei a dormir, pois fui aos poucos me sentindo confortável àquela situação, até que consegui cair em sono profundo...
Pela manhã, senti um ar quente em meu rosto, abri os olhos lentamente e não consegui esboçar reação alguma ao me encontrar frente a frente com Xena... Só consegui observá-la, aquele rosto perfeito, o hálito doce e quente que saia de sua boca...
Por alguns instantes pensei em beijá-la, um calor tomou conta do meu corpo e eu queria beijá-la...
Desisti quando as lembranças de suas palavras ditas na noite anterior invadiram-me a mente...

Xena acordou e ficamos nos encarando por alguns instantes... Rapidamente tirou seu braço de minha cintura e sentou-se nas cobertas... Estava completamente atordoada, como se tentasse entender como ficamos naquela posição... Mas só me desejou bom dia e disse que íamos tomar nosso desjejum e partir. Durante todo o dia não houve comentário algum sobre o que havia acontecido... Mas a partir desse dia, apesar de não ter mais acontecido algo como aquilo, passamos a dormir uma ao lado da outra...

Pergaminho...
Confesso que ser envolvida por ela me trouxe sensações desconhecidas, uma mistura de desejo com admiração... O calor de seu corpo me dominou completamente...
Só agradeço aos deuses por terem a colocado em meu caminho e que tudo o que eu quero é estar ao seu lado... Para sempre!

Pergaminho... Preciso ir, Xena está me chamando, pois o jantar está pronto e iremos dormir logo em seguida... Amanhã partiremos cedo...
Mas de uma coisa tenho certeza...
Agora somos somente Xena e eu... A Princesa Guerreira e A Princesa Amazona... Juntas em muitas e inesquecíveis aventuras!

Boa noite!!!




Comentários
2 Comentários

2 comentários:

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos