Uma Noite Como Todas As Outras

  

por Larissa Reis



Gabrielle já andava impaciente pela clareira onde elas tinham arrumado para passar a noite. Xena tinha saído a horas atrás dizendo que não demoraria e agora o sol já começava a se pôr, o que deixava a barda ainda mais apreensiva; para tentar distrair a cabeça e para não ficar no escuro, começa a armar a fogueira próxima de onde dormiria – apesar de que estava preocupada demais para dormir.

Sentada perto da fogueira, olhando diretamente para o fogo, Gabrielle se vê lembrando de tudo o que as duas já tinham passado nesses últimos anos juntas. Foram tantas aventuras, tantas alegrias, tantas tristezas... Como seria sua vida se Xena não a tivesse levado daquela sua vidinha simples de garota do campo? Nem conseguia pensar nisso, jamais seria capaz de se arrepender de ter seguido a guerreira até Amphipolis.

O sol já havia se ido por completo quando pôde ouvir alguns barulhos na mata atrás de si. A barda mais que depressa já tinha seus sais em mãos, pronta para se defender de qualquer ameaça iminente.

- Calminha Rainha Amazona! Venho em missão de paz... – Xena apareceu no pé da clareira carregando um caixote de madeira nos braços.

- Estava querendo me matar do coração?! – baixando os sais e virando as costas para a guerreira em sinal de não estava muito satisfeita, Gabrielle soltou um suspiro de alivio por saber que sua Xena estava bem, mas não a deixou perceber isso.

- Foi apenas um contratempo, mas cá estou novamente, inteira. – Ver sua pequena barda daquele jeito mexia com os sentimentos mais profundos e primitivos de Xena. Gabrielle lhe ficava sexy quando brava. Aproximou-se da loira, deixando de lado a caixa de madeira com os suprimentos para o resto da viajem, e abraçou pelas costas.

Gabrielle não conseguia resistir àquilo. A guerreira sabia como fazê-la ficar sem chão. Tão sem chão que quando sentiu pequenos beijos lhe fazendo o caminho da nuca quase parou de sentir as pernas. Queria resistir, ainda estava com raiva de Xena pela preocupação que tinha feito ela passar, mas era impossível não ceder àquelas mãos fortes e determinadas...

- Ainda não estou boa com você, Princesa Guerreira. – dito isso Xena a vira de modo a olhar nos olhos de sua loira e a pressionou contra uma arvore próxima, estava indo pelo caminho certo, vi isso na respiração de sua amada que começava a acelerar ainda mais.

- Tens certeza? – um beijo no pescoço, uma respiração pausada.

- Certeza absoluta. – Era divertido ver a barda ficando sem ar, lutando contra a vontade de fechar os olhos e se entregar às sensações. Mais um beijo, mais para cima, logo abaixo da orelha.

- Pra quê isso tudo? Estou aqui não é? – uma leve mordida no lóbulo da orelha fez a barda se render por completo, achara seu ponto fraco.

- Pelos Deuses! Isso já é demais! – atendendo as expectativas de Xena, Gabrielle a puxa para um beijo ardente e juntas caem no chão e lá ficam até o amanhecer, se amando, como muitas outras noites que se foram e muitas outras que ainda estariam por vir... 



******


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos