FanFic - I'll Never Leave You - Capítulo XIV (Final)




por Caroline Pessoa







Capitulo XIII






                      O dia amanheceu prata e banhado em uma luz radiante. Parecia que o tempo curava lentamente as feridas em processo de cicatrização. Embora alguns corações estivessem mutilados, o remédio da paciência agiria com precisão em cada alma.
                      Na tenda, Xena e Gabrielle entreolharam-se espantadas.
                      - Mas como isso é possível? – Gabrielle apalpava-se de cima a baixo e alongava-se para crer que seu corpo estava intacto.
                      Xena olhava para as mãos, tocava o rosto e verificava o corpo totalmente livres de ferimentos.
                      - Eu sou eu novamente! – Gabrielle sorria empolgada olhando seu reflexo em um gigantesco escudo de cobre pendurado na tenda.
                      - É... Parece que eu também sou eu novamente – Xena sorria torto.
                      Mais tarde descobriram que não foram as únicas a receberam a cura misteriosa.
                      - Ártemis – disse Hélade convicta – eu sei que ela esteve por aqui...
                      Era hora de partir. Roma vivia o caos da morte de Otávio Augusto e de César pela segunda vez. A cidade estava em polvorosa e sem governante. O Senado organizou uma reunião para decidirem o futuro de Roma e do próximo candidato ao império. Seria uma longa batalha para reorganizarem-se.
                      Ninguém quis ouvir as notícias da balbúrdia de Roma. Queriam apenas continuar vivendo suas vidas, mas atentas a todo e qualquer movimento estranho que os romanos fizessem. Xena e Gabrielle receberam comida, ervas e mantas das amazonas.   
                      - Eu não sei por onde começar a agradecer – disse Xena a Hélade, Leah, Ailla, Diana e Ariana.
                      - Não precisa... – disse Leah dando-lhe um abraço afetuoso – Foi uma honra ajudar a lendária Princesa Guerreira.
                      Xena soltou-se do abraço de Leah para abraçar as outras amigas. A última a se despedir fora Hélade.
                      - Obrigada – Xena disse numa profunda gratidão.
                      - Você sempre será bem-vinda em nossas terras – Hélade afagou o cabelo dela.
                      Gabrielle despediu-se emocionada das amazonas, agradecendo-lhes os cuidados e os riscos que correram para salvá-la.
                      - Você teria feito o mesmo por nós – disse Leah apertando afetuosamente a mão de Gabrielle.
                      - Até a próxima – disse com voz embargada, tentando em vão não chorar.
                      Xena e Gabrielle partiram com a Argo pela floresta, acompanhadas pelo invisível olhar de Ártemis.
                      Como era costume, Gabrielle tagarelava sobre várias coisas ao mesmo tempo e sobre como transformaria aquela última aventura em uma bela história. Xena apenas a incentivava olhando-a de esguelha e sorrindo com o entusiasmo da outra e temendo por dentro a próxima batalha que enfrentariam – contanto que estivessem em mais uma briga lado a lado em prol daqueles que precisavam, enfrentaria.
                      - Xena você está me escutando? – Perguntou Gabrielle notando o alheamento de Xena.
                      - Claro que sim – disse fitando as árvores.
                      - Então repita o que eu disse – exigiu Gabrielle.
                      Xena olhou-a com uma sobrancelha erguida e presunçosa, dando um pequeno empurrão em Gabrielle.
                      E caminharam floresta adentro, sem se importar com os olhares de Ares e Ártemis. Estava tudo muito calmo e tranquilo. As folhas se agitavam no alto das árvores e a brisa fresca corria solta, serpenteando todo o lugar. Era um sorriso de Ártemis. Mas elas não pensaram nisso. Apenas continuaram fazendo o seu caminho, observando a vida que estava em todo o lugar.
                      Quem sabe o que as aguardaria amanhã? Quem sabe...
                      - Gabrielle? – perguntou Xena observando alguns pássaros brigando em um galho.
                      - Hum?
                      - Você nunca foi embora – disse ela lembrando-se dos tormentos.
                      - Você é muito desastrada sem mim Xena – debochou Gabrielle colocando uma flor amarela detrás da orelha.
                      Elas se entreolharam sorrindo.
                      - Por que diz isso?
                      Xena olhou para baixo meneando a cabeça.
                      - Você quase morreu dessa vez – disse sombria.
                      - Eu já quase morri tantas vezes... – Gabrielle respondeu com um tom desinteressado tentando amenizar a conversa – A pior parte da ideia era deixa-la.
                      - Eu nunca...
                      - Eu sei. Nem eu. – A moça loira disse como se lesse os pensamentos da outra. – Eu sei muito bem o que estou fazendo da minha vida. E descobri isso desde aquele dia em que você chegou a Potedia... Tão poderosa, tão altiva... Eu queria ser como você...
                      - E eu como você.
                      Elas sorriram.
                      - Eu tive muitas chances de ir embora. Não basta para você?
                      Xena calou-se.
                      - Não quero que morra...
                      - Se isso acontecer será a minha hora e não por culpa sua. – Gabrielle parou para olhá-la. Xena parou três passos a frente. Gabrielle apanhou uma flor amarela e colocou atrás da orelha de Xena. Não retirou a mão e afagou-a novamente.
                      – Vamos?
                      - Vamos – Xena sorriu torto apertando a mão de Gabrielle afetuosamente, até que o falatório recomeçou e tudo voltara ao normal, como sempre pareceu ter sido.

...



Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Para evitar comentários com conteúdo chulo e ofensivo, todos serão moderados, certo?

Ѳ Comente pelo Facebook!

Ѳ Mais Vistos